Fique alerta aos sintomas da dengue:

Depois da picada do mosquito com o vírus, os sintomas se manifestam normalmente do 3º ao 15º dia. Esse período é chamado de incubação. O tempo médio de duração da doença é de cinco a seis dias. É só depois do período de incubação que os seguintes sintomas aparecem:

DENGUE CLÁSSICA

  • Febre alta com início súbito.
  • Dor de cabeça.
  • Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles.
  • Perda do paladar e apetite.
  • Náuseas e vômitos.
  • Tonturas.
  • Extremo cansaço.
  • Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
  • Moleza e dor no corpo.
  • Muitas dores nos ossos e articulações.
  •  

    DENGUE HEMORRÁGICA

    Os sintomas da dengue hemorrágica no início da doença são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre, com maior freqüência, quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alarme:

  • Dores abdominais fortes e contínuas.
  • Vômitos persistentes.
  • Pele pálida, fria e úmida.
  • Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
  • Sonolência, agitação e confusão mental.
  • Sede excessiva e boca seca.
  • Pulso rápido e fraco.
  • Dificuldade respiratória.
  • Perda de consciência.
  •  

    Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas.

    Se você apresenta esses sintomas, vá imediatamente a uma unidade de saúde.

     

    Fontes:

    http://www.dengue.org.br/dengue.html

    http://portal.saude.gov.br/saude/

    http://www.combateadengue.com.br/

    http://www.combatadengue.com.br/

    CONFIRA OS SINTOMAS DA DENGUE

    Depois da picada do mosquito com o vírus, os sintomas se manifestam normalmente do 3º ao 15º dia. Esse período é chamado de incubação. O tempo médio de duração da doença é de cinco a seis dias. É só depois do período de incubação que os seguintes sintomas aparecem. LEIA MAIS

     

    COMO COMBATER

    A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros. LEIA MAIS

    Clique aqui para inserir o seu vídeo

    2. As Tartarugas Ninjas contra Aedes Aegypti

    -

     

    Veja a lista completa com todos os vídeos.